A ATUAÇÃO DA FISIOTERAPIA PRÉ-OPERATÓRIA EM PACIENTES SUBMETIDOS À CIRURGIA DE REVASCULARIZAÇÃO DO MIOCÁRDIO: REVISÃO SISTEMÁTICA
abril 6, 2016
Incontinência Urinária (IU) e a Prática Esportiva
abril 7, 2016

Parque Barigui, o Xodó dos Corredores Curitibanos!

Entenda alguns aspectos técnicos que o torna favorito para os treinos dos praticantes de corrida

Ao passar a frente do famoso Parque Barigui, seja de carro, ônibus ou mesmo a pé, você se perguntará, qual o motivo por tamanha quantidade de praticantes de atividades física que adotam este local?

O Barigui que possui origem indígena para sua nomenclatura, “rio do fruto espinhoso”.  A  atual estrutura não foge a suas raízes, já que ainda seus frequentadores podem conviver nos seus três bosques com diversos animais nativos ou migratórios, como garças-brancas, preás, quero queros, tico-ticos e outros ainda mais tímidos, e não menos protagonistas, como o jacaré do papo amarelo.

A história do iniciou a partir de uma antiga “sesmaria”, propriedade pertencente a Martins Mateus Leme e foi transformada em parque em 1972, pelo então prefeito Jaime Lerner. Desde então, seu papel urbanístico  foi essencial para e drenagem e escoamento de água e aos poucos ,também, sendo adotado como um local de lazer e prática de inúmeras atividades esportivas, como a corrida.

mat9

Foto do parque Barigui

mat10

mat11

Locais para alongamento muscular

Alongar os músculos recrutados na prática da corrida é de indispensável realização. Já que alongar tem papel fundamental na vascularização tecidual, corroborando assim na oxigenação e nutrição tecidual. O alongamento também é um grande responsável pela redução da tensão, gerando assim uma resposta diretamente proporcional de minimização dos fatores de compressão articular. Portanto, alongar é essencial na prevenção da artrose (doença degenerativa articular)

Alongamentos fundamentais para a prática da corrida

Para realização do alongamento, deve-se atentar para o maior objetivo deste exercício que consiste na deformação do tecido. Sua deformação depende do tempo aplicado (3 minutos), gerando assim resposta não somente sobre o músculo, mas também sobre a fáscia (tecido fibroso de princípio plástico que reveste a estrutura muscular).

1-Quadríceps

Alongamento direcionado para os quatro músculos integrantes do quadríceps (Reto femoral/Vasto medial/Vasto lateral/Vasto intermédio). Este grupamento é considerado biarticular, já que apresenta ação na flexão do quadril e extensão do joelho. Portanto o posiscionamento da pelve é fundamental para favorecer o bom alongamento. Aproveite para puxar o pé na sua extremidade otimizando assim, o alongamento do músculo Tibial Anterior.

2-Adutores do quadril

Os adutores do quadril são compostos principalemte por cinco músculos: Adutor Longo, Adutor curto, Adutor Magno, Pectínio e Grácil. Para alóngá-los é necessário realizar uma abertura do quadril.

3- Panturrilha (gastrocnêmios)

A Panturrilha tem como nome científico , Triceps Surral. Este grupamento é formados pelos músculos Gastrocnêmio Medial, Gastrocnêmio Lateral e Soleo. Sua principal função é de realizar a impulsão na corrida. Isto posto ,seu alongamento é fundamental na prevenção de diversas lesões como as tendinites, fascites plantares e bursites calcaneanas. Para o alongamento ser efetivo realize a extensão dos joelhos e pressione os calcâneo contra o solo. Neste exercício, somente os Gastrocnêmios serão tensionados.

4- Panturrilha (soleo)

A grande diferença do posicionamento dos membros inferiores para o alongamento do sóleo no comparativo com os gastrocnêmios (exercício anterior) está na flexão dos joelhos.

5- Rotadores internos do quadril

Este grupamento é composto, principalmente pelos músculos Glúteo médio, Glúteo mínimo e Tensor da Fáscia lata. Estes também realizam a abdução do quadril (abertura da coxa). Para alongá-lo basta fazer uma postura semelhante ao número quatro com os membros inferiores e sentindo tensionar a região lateral do glúteo.

6-Posteriores de coxa

Os posteriores de coxa, também conhecido como Isquiotibiais, são compostos por três músculos: Bíceps Femoral, Semitendinoso e Semimebranoso. Para realizar o alongamento é fundamental preocupar-se com o posicionamento da pelve já que este grupo é considerado biarticular (ação nas articulaçãoe do quadrile joelho). Portanto tente preservar a curvatura lombar (lordose), evitando o deslocamento posterior da pelve. É possível também sentir uma tensão na lombar, já que a transmissão mecânica ocorre por todo trajeto posterior.

7- Banda iliotibial

A Banda Iliotibial e uma faixa lateral localizada na face lateral da coxa. Seu comportamento tensional é relevante nos corredores. Portanto seu alongamento é fundamental. Para isto desamarre o cadarço do tênis e puxe-o no sentido oposto quando entiver deitado. Sentirá alongar a banda lateral, podendo sentir até a perna , próxima ao tornozelo.

8- Trapézio superior

O trapézio superior é um músculo altamente sensitivo , devido sua dupla inverção. Por isto sua grande tensão nas atividade do dia dia e até em alguns casos gerando dores cervicas e cefaléias tensionais. Para alongá-lo é necessário inclinar a cabeça para o lado oposto e tracionar para baixo o puxo. Desta forma estára também aumento os espaço articular do ombro, auxiliando a prevenir lesões no ombro com a Síndrome do Impacto do ombro.

mat12

Fotos ilustrativas dos alongamentos sugeridos para realização antes da corrida

Percurso para a prática da corrida

A infraestrutura do parque disponibiliza uma excelente pista de corrida, faixa de caminhada e uma ciclovia. O trajeto proporciona inúmeros formatos de treino, devido às distâncias existentes, bem como os perímetros diferenciados.

mat13

Fotos da divisão das pistas para a prática da caminha, corrida e ciclismo.

 

Trajeto reduzido

O desafio para uma nova rotina não é uma tarefa fácil. Ainda mais para aqueles que convivem  com o sedentarismo. Uma grande alternativa para a quebra deste paradigma pode ser a corrida. Ela torna-se ainda mais convidativa, quando realizada em ambientes de grande beleza natural, terrenos com altimetrias regulares e solos estáveis.

O parque Barigui é capaz de suprir a necessidade deste perfil de corredor iniciante. A espetacular pista principal tem 3.250 m (de acordo com a marcação de GPS), é plana, bem pavimentada, possui marcação a cada cem metros, e está localizada ao redor de um lindo lago com espelho d’água e no meio de muito verde.

cwb-004

Foto das diferentes distâncias demarcadas no trajeto do parque

mat14Trajeto do bosque

Para corredores que desejam locais mais arborizados e com menor intensidade de luz solar, também podem usar o parque, já que este possui um bosque com grande flora nativa e maior umidade relativa do ar, devido  a presença de nascentes transitarem pelo local. Outra característica deste trajeto é a sua altimetria. Uma boa pedida para treinos de prova trail ou de rua com grandes exigências de elevação.

mat15

Fotos do estimulante trajeto do bosque do parque Barigui

joseJosé Lourenço Kutzke é Fisioterapeuta,
Mestre em Engenharia Biomédica,
e professor universitário nas disciplinas
de Cinesiologia, Biomecânica, Anatomia,
Fisioterapia Desportiva e Traumato-ortopédica

josekutzke@pisadaideal.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *